fbpx

Emília Corrêa: R$777,2 mil foram desviados e na CMA parece que nada aconteceu

Emília Corrêa: R$777,2 mil foram desviados e na CMA parece que nada aconteceu

 

Enquanto desde a semana passada a notícia que o
Ministério Público Federal (MPF) processou criminalmente sete pessoas, entre elas, funcionários da Prefeitura de Aracaju (PMA) e empresários, por fraude na licitação e desvios de recursos públicos na construção e manutenção do Hospital de Campanha (HCamp) tem sido repercutida, a vereadora Emília Corrêa (Patriota) que fez questão de pontuar a gravidade da situação no Legislativo Municipal, se diz surpresa com o ‘silêncio’ por parte da bancada governista.

“É impressionante como as coisas acontecem. Um assunto gravíssimo de denúncia do MPF. Envolvimento de sete pessoas da PMA. E, o que gente percebe, é uma agenda de pautas positivas quando, ninguém menciona o assunto, quando, na verdade, esse deveria ser o mais importante porque diz respeito à saúde, ao dinheiro do povo, pois foram recursos federais que vieram para serem destinados para salvar vidas. É inacreditável”, declarou Emília.

A oposicionista, que foi uma das primeiras a apontar as possíveis irregularidades após fiscalização ainda no ano passado, relembrou que fez vários vídeos e, os divulgou em suas redes sociais. “Desde o ano passado a gente vem falando sobre essa questão, sobre essas possíveis irregularidades, inclusive, através de vídeos divulgados em minhas redes sociais. Estive, no mínimo, quatro vezes no HCamp mostrando para o povo de Aracaju aquela realidade. O Ministério Público Estadual (MPE/SE) até também esteve presente, mas, segundo eles, não havia ilegalidades. O que foi uma surpresa para mim, porque estava tudo muito claro. O dano causado aos cofres públicos é estimado em R$ 777,2 mil. Esse assunto é muito sério e tem que ser trazido”, afirmou.

A vereadora concluiu sua fala parabenizando o MPF. “Não estamos mais falando de pessoas indiciadas, como eu ouvi alguns profissionais da imprensa se referindo, elas foram processadas. Já existem provas. Interceptações de conversas. Tem funcionário que deveria ter sido afastado e ainda permanece no quadro da prefeitura. Mas, o MPF é uma instituição séria e a gente espera que vá adiante. Que os culpados sejam devidamente penalizados”, concluiu.

Ascom

📸Gilton Rosas

Compartilhar este post