fbpx

“Revolta da bancada deveria ser contra o prefeito, e não contra o superintendente da SMTT”, afirma Emília

“Revolta da bancada deveria ser contra o prefeito, e não contra o superintendente da SMTT”, afirma Emília

Estratégia. É assim que a líder da oposição na Câmara Municipal de Aracaju (CMA), Emília Corrêa (Patriota) avalia a forma como os vereadores da bancada governista estão conduzindo as constantes acusações e insatisfação com Renato Teles, superintendente da SMTT.

De acordo com a parlamentar, essa reclamação não é nenhuma novidade e, ainda assim, Renato Teles ocupa um cargo de chefia. “Se ele está lá, foi porque o prefeito o colocou. Se não está trabalhando da forma que deveria, nem era para estar ocupando essa função. Mas, como não poderia ser diferente aqui nessa Casa, preferem atingir o ‘menor’ para ‘blindar’ o líder, o responsável. O vilão nessa história não é o superintendente. Ataquem a pessoa correta”, declarou.

Reforçando seu discurso de que essa insatisfação é antiga e, que os aliados do prefeito se comportaram da mesma maneira, a parlamentar ao contextualizar sua fala mostrou um vídeo, sobre o mesmo assunto, de 2017. “Aos colegas que chegaram agora, especialmente, perceberam como funciona as coisas? O vídeo é de 2017, nesse mesmo ano, a mesma pessoa que hoje eles criticam, estava lá, mesmo que de forma interina, já, que, somente em 2019 passou a responder oficialmente por esses problemas. Mas, outros, sem serem solucionados, já existiam. Agora eu pergunto, de quem é culpa?, questionou Emília.

Por fim, a vereadora diz que não se admira com a forma desrespeitosa como o secretário municipal tratou o Poder Legislativo. “É um reflexo da atual gestão. Se uma pauta tão importante para a cidade como a questão do transporte público foi por diversas vezes ignorada por quem deveria intermediar, e buscar soluções efetivas, o gestor não está escolhendo bem seu secretariado”, finalizou.

 

Ascom

📸 César de Oliveira

Compartilhar este post