fbpx

Emília repudia caso de anestesista que abusou de mulher durante parto

Emília repudia caso de anestesista que abusou de mulher durante parto

O caso que estarreceu o país, envolvendo o médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra, preso em flagrante, por estupro, ao abusar de uma paciente enquanto ela estava dopada e passava por um parto cesárea, foi pauta do discurso da vereadora Emília Corrêa (Patriota) no Legislativo Municipal.

Presidente da Procuradoria da Mulher na Casa, a parlamentar qualificou o crime como perverso, covarde é desumano. “Que dia triste para as mulheres. Impossível ler uma notícia dessa e não sentir um embrulho no estômago de tão inacreditável e estarrecedora que é. Uma mulher totalmente vulnerável, dopada, no dia que era para ser o mais feliz da sua vida, sendo violentada por quem deveria está ali para cuidar e se aproveitou da sua função para cometer o estupro”, declarou.

Acompanhante

Aproveitando a repercussão do caso, e os questionamentos sobre se não havia um acompanhante no momento em que ocorreu o crime, Emília ressaltou que o direito está previsto na Lei Federal n° 11.108/2005. “Direitos não se questionam. Está na Lei. É garantia de toda mulher a Lei do Acompanhante. Mulheres, fiquem atenta aos seus direitos e façam os valer”, pontuou.

 

Ascom

📸 Gilton Rosas

Compartilhar este post